Game of Thrones – 4×03 – Breaker of Chains

3
2025

Uma pausa para críticas.

Game of Thrones só nos apresenta dez semanas por ano. E por mais que o material seja extenso e tenha muita história para contar, no meio desses dez episódios sempre acaba ficando um menos excelente que o outro. Essa semana GoT nos trouxe um episódio bom, um episódio de passagem. O que me deixou mais bolado com o episódio foi que ele teve um início arrebatador e um final também, mas a meiuca não foi lá essas coisas. Ao rever o episódio, na verdade, o que não funcionou foram apenas alguns núcleos que não faziam muito sentido estarem sendo mostrados em cena. Vamos a eles.

Os núcleos de Arya, Sam e Pedra do Dragão não funcionaram dessa vez. Com Arya e o Cão eu tenho um pequeno receio de que se transformam no “estilo The Walking Dead” de trama, no qual a cada episódios eles encontram uma casa/taberna diferente, interajam com as pessoas de lá (seja matando todo mundo ou assaltando) e sigam seu caminho. Mostrar apenas os dois chegando e depois o Cão roubando o velhinho foi desnecessário. Já sabemos do que o Cão é capaz e já sabemos quão perigoso está Westeros, foi mais do mesmo.

Já com Sam, a trama não rendeu muito bem. Acredito que tudo que aparecer na Muralha a partir de agora e que não envolver a luta dos Patrulheiros com os Selvagens eu vou ter um pouco de pé atrás, porque realmente não quero que eles enrolem isso até o final da temporada. Então, Sam tentou ajudar Gilly ao tirá-la e Black Castle para tentar salvá-la. Uhum, ok, legal, vamos para as cenas de luta, logo?

Enquanto isso, em Pedra do Dragão, o que mais me decepcionou foi o fato de Stannis AINDA não colocar seus homens para marcharem para a Muralha para ajudar os Patrulheiros. No final da temporada passada, vimos que Stannis era o único Rei que ao menos se importou com o corvo de Sam, mas nada fez até agora. Davos levantou a possibilidade do Banco de Ferro para ajudar seu Rei a conseguir um Exército. Banco de Ferro que foi citado por Olenna e Twyin episódio passado.

Em Porto Real, o luto ainda é presente. A cena no Septo de Baelor com Twyin dando uma aula a Tommem (o próximo Rei, e quem sabe, pretendente de Margaery) sobre como se rum Rei. Que cena espetacular. Não só por dar uma aula para o garoto sobre como ele deve agir quando tiver com a coroa na cabeça, mas sim porque naquele momento o Papai Lannister já começa a treinar seu neto apenas para seguir suas ordens. Quando ele diz que o que importa é sabedoria e saber ouvir os outros, é disso que ele fala: “olha, faz o que eu mandar, tá ok?”. Depois disso, ainda somos apresentados a toda violência com que Jamie trata sua irmã ao “estupra-la” na presença do corpo de Joffrey. Que cena perturbadora, mas ainda assim tão cabível e realista dentre do contexto Lannister e Jamie/Cersei de ser.

Ainda tivemos um pouco de respostas. Sansa foi “salva” por Mindinho, no final das contas. E tinha jogado já na resenha anterior que o ex-Mestre das Moedas estava sumido do Casamento Real. Por mais que o roteiro tenha apontado que ele somente tenha envenenado Joffrey, acredito que a conversa entre Olenna e Margaery tenha sido para complementar os possíveis culpados pela morte do jovem Rei. Olenna sabia da maldade presente no coração de Joffrey e não deixaria mesmo sua neta se casar com aquele monstro, o que faria todo sentido ter sido parte da conspiração.

Já Tyrion se encontra preso. E aí lembramos lá da primeira temporada com ele preso por Catelyn e escapando de maneira brilhante. Temo que aqui será mais difícil. Como Pod mesmo já disse, a Rainha irá subornar a capital inteira atrás de testemunhas contra seu irmão anão. E já ansioso para esse julgamento que promete diálogos incríveis. Melhor cena do episódio foi a despedida singela entre o anão e Pod. Já disse aqui que sou fã de cenas que não tem no livro porque acredito que agregam valor a personagens que George R. R. Martin não desenvolveu direito. E desde temporada passada temos maior desenvolvimento para Pod. Espero que o personagem não tenha um triste fim.

E por último, chegamos em Meeren com Dany e seu exército as portas da cidade. Vamos passar por toda a obviedade da cena de Daario derrotando o campeão (por mais legal que tenha sido) e ir para o momento final. Será que teremos um momento anti-climax? Será que não veremos os Imaculados descendo o pau nos mestres de Meeren? A cena final com os escravos vendo as algemas quebradas foi incrível. O gancho pode até ter sido meio anti-climax, mas ainda assim bem condizente com a personagem.

No saldo, tivemos um bom episódio, com bons momentos em Porto Real e Meeren, mas falhando em acertar outras tramas. Espero que tenha sido apenas uma (pequena) pausa para a tensão voltar a aparecer semana que vem.

Book of Thrones #1: Pelo que ficou parecendo, Jon Snow ainda vai voltar a Fortaleza de Craster para silenciar seus irmãos rebeldes que lá ficaram para não denunciar os verdadeiros números de homens da Muralha? Ah, tomara que não. Espero que não enrolem muito para essa batalha na Muralha, porque o que vem depois dela precisa ser bem trabalhado e desenvolvido.

Book of Thrones #2: Em compensação, estou curtindo muito o desenvolvimento dos Thenns e como eles são amedrontadores.

Book of Thrones #3: Como Dany tem campeões em seu exército, hein? Quatro homens fortes e corajosos prontos para defender a qualquer custo.

Book of Thrones #4: Saudades de Bran? Não mesmo, mas confesso que ficaria um pouco mais feliz com umas ceninhas de Fedor e Ramsay.

3 COMENTÁRIOS

  1. pessoal cade os resumos dos capitulos 4 e 5. eles ajudam muito a tirar duvidas.
    Parabéns pelo guia.